Zika Vírus



Infecção causada pelo vírus ZIKV, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue da febre Chikungunya.

O vírus Zika teve sua primeira aparição registrada em 1947, quando foi encontrado em macacos da Floresta Zika, em Uganda. Entretanto, somente em 1954 os primeiros seres humanos foram contaminados, na Nigéria. O vírus atingiu a Oceania em 2007 e a França no ano de 2013. O Brasil notificou os primeiros casos em 2015, no Rio Grande do Norte e na Bahia.


O ciclo de transmissão ocorre do seguinte modo: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água. Ao saírem dos ovos, as larvas vivem na água por cerca de uma semana. Após este período, transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas. O Aedes aegypti procria em velocidade prodigiosa e o mosquito adulto vive em média 45 dias. Uma vez que o indivíduo é picado, demora no geral de 3 a 12 dias para aparecer os sintomas. Os sinais de infecção pelo Zika vírus são parecidos com os sintomas da dengue.

Sintomas:

  • Febre baixa (entre 37,8 e 38,5 graus)

  • Dor nas articulações (artralgia), mais frequentemente nas articulações das mãos e pés, com possível inchaço

  • Dor muscular (mialgia)

  • Dor de cabeça e atrás dos olhos

  • Erupções cutâneas (exantemas), acompanhadas de coceira. Podem afetar o rosto, o tronco e alcançar membros periféricos, como mãos e pés.

  • Fotofobia, conjuntivite e até uveíte.

Os maiores incômodos são: a febre, coceira e comichão na pele, além de manchas avermelhadas.


O tratamento é sintomático. Isso que dizer que não há tratamento específico para a doença, só para alívio dos sintomas. Entretanto, assim como na dengue e febre Chikungunya, os medicamentos à base de ácido acetilsalicílico (aspirina) ou que contenham a substância associada devem ser evitados. Eles têm efeito anticoagulante e podem causar sangramentos. Outros anti-inflamatórios não hormonais (diclofenaco, ibuprofeno e piroxicam) também devem ser evitados. O uso destas medicações pode aumentar o risco de sangramentos. Os sintomas se recuperam espontaneamente após 4-7 dias. Se você sentir incômodo por mais tempo, deverá voltar ao médico para investigar outras doenças.


Para limitar a transmissão do vírus, os pacientes devem ser mantidos sob mosquiteiros durante o estado febril, evitando que algum Aedes aegypti o pique, ficando também infectado. Mas o mais importante de tudo é a prevenção.

Algumas ações podem ser tomadas:

  • Jogar fora pneus velhos, virar garrafas com a boca para baixo e, caso o quintal seja propenso à formação de poças, realizar a drenagem do terreno. Também é necessário lavar a vasilha de água do bicho de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d’água e cisternas.

  • Ralos rasos e que conservam água estagnada em seu interior, o ideal é que ele seja fechado com uma tela ou que seja higienizado com desinfetante regularmente.

  • Colocar areia nos vasos de plantas.

  • Limpar as calhas e canos um leve entupimento pode criar reservatórios ideais para o desenvolvimento do Aedes aegypti.

  • Colocar tela nas janelas.

  • Usar repelentes.

2 visualizações

ENDEREÇO

R. Des. Eurípedes Queirós do Valle, 640 

Jardim Camburi, Vitória - ES, 29090-090

Tel: 27 99639-7681

 

EMPRESA

Clinica Claudia Maestri LTDA

Cnpj 02.778.343/0001-07

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

Segunda - Sexta: 08:00 – 17:00 

OUTRAS INFORMAÇÕES

As consultas serão realizadas mediante o agendamento realizado pelo paciente, seguido da confirmação do pagamento pelo mesmo.

Cadastre-se para receber nossos informativos

  • Instagram

 

© 1995 - 2020 - Clínica Cláudia Maestri

R. Des. Eurípedes Queirós do Valle, 640 Jardim Camburi, Vitória - ES, 29090-090

Telefones : (27) 3337 3653 - (27) 996397681